Clique sobre a revista para folhear
Receba nosso boletim
Busca
Enviar por E-mail
Comente
Imprimir
Imprimir
 
Compartilhe:
 
Porto Alegre usa diálogo para potencializar ações
Foto: Divulgação/PMPA
Oficinas sobre prevenção à violência constam no projeto



A partir da identificação de que as ações da área de Educação Permanente da Secretaria da Saúde (SMS) de Porto Alegre estavam fragmentadas, foi incluído no Plano Municipal de Saúde, aprovado no final de 2010, a construção de um Plano de Educação Permanente da Atenção Primária em Saúde (APS) visando ao desenvolvimento de ações que contemplassem todas as áreas técnicas de saúde do município.

Conforme a responsável pela Área Técnica de Educação Permanente da Atenção Primária em Saúde de Porto Alegre, Gerci Rodrigues, havia uma série de questões a resolver dentro da APS, sendo a principal delas a falta de uma visão interdisciplinar do trabalho, o que acabava por enfraquecer as ações. “Tínhamos diversos projetos, mas não ocorria um diálogo entre as diferentes áreas da secretaria de modo a permitir que essas ações fossem planejadas com um enfoque ampliado para que se atingisse um melhor resultado”, explica Gerci.

No segundo semestre de 2011, o plano começou a tomar forma após o diálogo com as áreas técnicas da secretária, buscando a intersetorialidade para a solução dos problemas pontuais. “Um parecer do Tribunal de Contas do Estado (TCE) apontava para a falta de análise do processo, da fragmentação e ausência de critérios de participação e avaliação dentro da Educação Permanente, diagnóstico que já havíamos chegado internamente e desencadeado ações para revertê-lo”, conta.

Foram idealizados 54 subprojetos para serem realizados durante o ano de 2012. Essas ações dialogam entre si, dentro de um calendário unificado, para que não haja colisão entre elas. Gerci explica que dentro desta organização foi possível focar melhor as sub-regiões da Capital, permitindo traçar um perfil epidemiológico de toda a cidade. “O profissional que trabalha no bairro do Centro precisa de um tipo de treinamento para atender determinada demanda epidemiológica, diferente do profissional que atua na Restinga ou nas Ilhas,” exemplifica.

Apesar de ainda não ser possível medir os resultados do projeto, que entrou em ação em janeiro de 2012, Gerci conta que se percebe uma maior comunicação entre todas as áreas técnicas da SMS o que se ref lete de maneira positiva no trabalho do dia a dia. Para o dia 14 de dezembro de 2012, está prevista a realização da Feira de Resultados, onde os servidores da saúde de Porto Alegre poderão mostrar suas experiências bem-sucedidas, produzidas dentro do plano de Educação Permanente.


Ficha Técnica
Título da experiência: Construção do Plano de Educação Permanente da APS
Município: Porto Alegre
Apresentadoras do Trabalho: Christiane Nunes de Freitas e Gerci Salete Rodrigues

24/07/2012
Fonte: 3ª Revista Cosems/RS
Total de comentários: 0 0 comentário(s) - Clique aqui e seja o primeiro a comentar
 
Confira também:
-
Programa em Vacaria insere medicamentos fitoterápicos em farmácia municipal do SUS
-
Trabalho conjunto entre ESF e escola mantém vacinação infantil em dia em São Sebastião do Caí
-
Verão e saúde são sinônimos em Salto do Jacuí
-
Informatização facilita acesso e traz economia ao município de Osório
-
Atividades desenvolvidas na água auxiliam no fortalecimento do afeto entre pais e bebês em Campo Bom
 

   
   
   
   
   
   
   
   
   
   
   
   
   
   
   
 
Galeria de fotos