Clique sobre a revista para folhear
Receba nosso boletim
Busca
Enviar por E-mail
Comente
Imprimir
Imprimir
 
Compartilhe:
 
Questionamentos sobre o e-SUS AB
Foto: Divulgação
O CONASEMS, por intermédio de sua representatividade no Grupo de Trabalho de Gestão – Subgrupo Informação e Informática (CIT), solicitou para áreas técnica do Ministério da Saúde material/relatório acerca dos questionamentos e solicitações referentes às demandas do sistema e-SUS AB.
 
Em resposta, foi encaminhada nota técnica com os seguintes tópicos:
 
1 – Levantamento da pesquisa de opinião do e-SUS Atenção Básica (e-SUS AB);
2 – Relatório de atendimento aos sistemas próprios (Setembro/2016 a Setembro de 2017) e;
3 – Mapeamento das variáveis dos indicadores do 3º ciclo do Programa de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica (PMAQ-AB) por tipo de aplicação do e-SUS AB.
 
1 – Levantamento da pesquisa de opinião do e-SUS Atenção Básica (e-SUS AB).

O CONASEMS ressalta que existem muitas solicitações de profissionais e gestores que utilizam o sistema e-SUS AB, para melhorias no sistema, alteração de regras de negócios, otimização da navegação e preenchimento do sistema, entre outros. Buscando atender esta demanda, o DAB/MS criou um portal para receber estes pedidos e ter a possibilidade de atendê-los, ou não.
 
Qualquer profissional, ou gestor, pode enviar sua sugestão de melhoria do PEC/CDS do e-SUS AB para que a mesma possa ser votada na página, sendo que o voto se dá pela quantidade de “likes” que recebe de forma positiva, ou negativa. As sugestões que tiverem a maior quantidade de avaliações positivas serão analisadas prioritariamente pela equipe do e-SUS AB do Departamento de Atenção Básica e podem ser implementadas nas versões futuras do sistema.
 
O CONASEMS identificou que apesar de ser serem relatadas várias sugestões de melhorias do sistema pelo Brasil, é muito incipiente a quantidade de solicitações no portal disponibilizado pelo DAB, sendo assim incentivamos que os municípios registrem suas sugestões e solicitações no portal para que as mesmas se tornem oficiais e tenham as respostas necessárias. Como balizador desta demanda o CONASEMS solicitou retorno dos pedidos registrados no portal e recebeu como resposta o material que segue em anexo.
 
2 – Relatório de atendimento aos sistemas próprios (Setembro/2016 a Setembro de 2017).

“A estratégia e-SUS AB inclui, além dos sistemas de Coleta de Dados Simplficada (CDS) e Prontuário Eletrônico do Cidadão (PEC), a possibilidade de integração com sistemas já existentes. 

Essa integração se dá através das tecnologias Apache Thrift ou XML. (Fonte: DAB)”
 
O CONASEMS, visando identificar as possíveis demandas de municípios que possuem dificuldades na referida integração, solicitou relatório ao DAB visando identificar a quantidade real de demandas que estão sendo atendidas pelo DAB para resolução de possíveis problemas.
 
É importante alertar aos municípios que a responsabilidade de adequar os sistemas próprios aos layouts (Thrift/xml) é da própria empresa que fornece o serviço ao município, adequando aos modelos disponibilizados na página oficial do DAB/MS:
 
Sendo assim, caso os municípios estejam identificando discrepâncias entre os dados registrados no sistema próprio e os que são registrados no e-SUS AB (SISAB), deve-se imediatamente oficiar a empresa responsável pelo sistema próprio para que a mesma providencie as adequações necessárias visando a integralidade qualidade das informações enviadas ao Ministério.
 
O email oficial para recebimento destas demandas é: esus.integracao@saude.gov.br
 
O CONASEMS alerta aos municípios para que façam a verificação entre os dados registrados em seus sistemas próprios e os dados que estão sendo registrados oficialmente na base nacional, para que assim evitem serem prejudicados nas estratégias existentes dentro da atenção básica.
 
Dessa forma, atendendo ao pleito do CONASEMS, o DAB/MS formalizou relatório consolidados e detalhados dos atendimentos realizados nesta linha de ação da estratégia e-SUS AB.
 
3 – Mapeamento das variáveis dos indicadores do 3º ciclo do Programa de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica (PMAQ-AB) por tipo de aplicação do e-SUS AB.

O Programa de Melhoria da Atenção e Qualidade/PMAQ, em seu 3º ciclo, contará com 30% de sua certificação com base nos indicadores calculados pela fonte de informação e-SUS AB.
 
O CONASEMS verificou que muito embora esses indicadores sejam discriminados no caderno do AMAQ, não ficava claro em qual parte do sistema e-SUS AB os dados estão sendo aproveitados para cálculo dos referidos indicadores.
 
Sendo assim, foi solicitado ao DAB que apresentasse um Mapeamento dos campos dos Indicadores de Saúde do 3º ciclo do PMAQ para que os municípios possam verificar se estão registrando em sistema de forma a atender os dados necessários aos cálculos dos referidos indicadores.
 
O documento entregue pelo DAB/MS está estruturado em dois capítulos. O primeiro é condizente aos campos de variáveis para as equipes que utilizam a Coleta de Dados Simplificada (CDS/e-SUS AB) e o segundo capítulo está descrito para as demais equipes que utilizam o Prontuário Eletrônico do Cidadão (PEC/e-SUS AB).
 
Desta forma, o CONASEMS alerta aos municípios para que façam a leitura do documento na íntegra, e caso necessário façam as adequações nos registros necessárias para a realização da apuração correta dos dados visando o cálculo dos indicadores.
 
Por fim, o CONASEMS informa que solicitou, também, nota técnica acerca da integração do e-SUS AB com os sistemas SIPRENATAL e SISVAN, as quais foram publicadas pelo DAB/MS visando esclarecer, dúvidas acerca das duas integrações, junto aos municípios.
 
Essas notas técnicas podem ser acessadas através dos links:
 
06/11/2017
Fonte: CONASEMS
Total de comentários: 0 0 comentário(s) - Clique aqui e seja o primeiro a comentar
 
Confira também:
-
Cinco mil profissionais serão capacitados para fortalecer a política de saúde da população negra
-
Portaria nº 1.386 torna público o resultado da seleção das propostas elegíveis referente à Portaria nº 1035 e convoca 12 municípios do RS a cadastrar suas respectivas propostas no SICONV
-
Estado começa distribuição de equipamentos para redução da mortalidade materna
-
TCU discute manutenção de UPAS com gestores municipais
-
Ministério da Saúde investe R$1,78 milhão em saúde bucal; municípios de Passo Fundo e São Leopoldo são contemplados
 

   
   
   
   
   
   
   
   
   
   
   
   
   
   
   
 
Galeria de fotos