Programa em Vacaria insere medicamentos fitoterápicos em farmácia municipal do SUS
Foto: Divulação/PMV

Palestras, concursos, oficinas, novas ideias. Tudo isso, faz com que o Programa Municipal de Plantas Medicinais, Aromáticas e Condimentares – Cultivando Saúde cresça e ganhe cada vez mais espaço entre a comunidade de Vacaria, localizada na região dos Campos de Cima da Serra. Fruto de uma parceria entre as secretarias de Agricultura, Educação e Saúde, o projeto teve início em 2009 e apresenta novas atividades que incentivam a participação popular no cultivo de plantas medicinais, que já estão sendo incluídas na Farmácia do SUS do município.

O programa, que faz parte da Estratégia da Saúde da Família (ESF), teve como primeiro passo a aplicação de um questionário com a participação de 700 usuários das unidades de saúde do município, com o intuito de conhecer as espécies de plantas medicinais mais conhecidas e utilizadas pela comunidade. Logo após, 38 profissionais das três secretarias envolvidas foram capacitados em Plantas Medicinais e Fitoterápicos, através de curso realizado no Centro de Treinamento de Agricultores (CETANP), em Nova Petrópolis. Além disso, foi implantado um horto aberto à visitação na sede do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul (IFRS). A adoção do cultivo dos fitoterápicos não ocorreu em busca de economia, uma vez que os preços se equivalem ao dos medicamentos alopáticos, mas sim por proporcionar mais uma opção aos pacientes no momento do tratamento.

Segundo a coordenadora das Práticas Integrativas e Complementares (PICs) do município, a dentista Anelise Pelissari, o principal resultado da ação é a proximidade entre profissionais da saúde e população. “O nosso objetivo central foi a relação com a comunidade que atendemos, valorizando o seu prévio conhecimento e, a partir disso, desenvolver projetos da área.” Outra consequência é a possibilidade de substituição de medicamentos alopáticos por fitoterápicos que, segundo Anelise, é bem recebida pelos pacientes. “A comunidade acolhe muito bem a ideia, entretanto, ainda é um número restrito de medicamentos que são oferecidos e não são todos os médicos que os prescrevem.”

Para a secretária da Saúde de Vacaria, Angelita Herrmann, é fundamental o reconhecimento da sabedoria popular para garantir o autocuidado o respeito, fazendo a diferença na implantação da lógica de “Gente Cuidando de Gente”. “A comunidade se sente reconhecida e respeitada. Diminui a procura por médicos e, mesmo ao procurar a equipe, funciona mais como uma troca de conhecimento, não ficando apenas na lógica médico-exame- remédio”, afirma. Angelita diz que o projeto fortalece o SUS como um sistema em construção coletiva. “A comunidade se envolve como um todo, não sendo uma relação unilateral, onde os gestores e profissionais da saúde dizem o que deve ser feito e a população deve apenas acatar.”

Existem ainda outros projetos pontuais como oficinas sobre colheita, secagem, armazenagem, formas de preparos de chás, tinturas e uso das plantas na culinária. Ao término, o participante recebe um certificado e tem a oportunidade de mostrar todos os produtos confeccionados e suas receitas, reforçando a cultura popular do município. Sobre a participação da comunidade, Anelise se mostra satisfeita. “Qualquer atividade que realizamos conta com grande adesão. Os agentes comunitários de saúde se mobilizam convidando a população, que além de aprender, traz sugestões e contribuições do conhecimento popular.” A realização das oficinas demonstra outro benefício gerado pelo programa: a satisfação dos profissionais da saúde ao realizarem atividades fora de seu ambiente de trabalho habitual. Diminuindo assim, a pressão e o estresse inerente ao trabalhador.

Os desafios não foram empecilhos, de acordo com a coordenadora. “A principal dificuldade é trabalhar com vários setores. Entretanto, no momento em que conseguimos nos organizar com as outras secretarias, o projeto evoluiu e mostrou-se muito gratificante”, diz. Com isso, outras ações estão sendo incorporadas, como terapias complementares e musicoterapia.

Dentre as várias vitórias conquistadas, destaca-se a inserção de cinco medicamentos fitoterápicos na Farmácia do SUS. Ela ressalta que apenas remédios preconizados pela Relação Nacional dos Medicamentos Essenciais (RENAME) e aprovados pelo Comitê de Assistência Farmacêutica do município são distribuídos pela farmácia. Parte da Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares, a ação tende a progredir e aumentar suas atividades. Conforme Anelise, a iniciativa está conseguindo abrir novos horizontes, auxiliando na melhora do atendimento e incentivando a participação popular.

Alguns exemplos da produção de fitoterápicos em Vacaria são: Guaco (xarope) – Expectorante, broncodilatador para tratamentos pulmonares; Cáscara Sagrada (pílula) - Auxiliar no tratamento de prisão de ventre ocasional; Isoflavona de Soja (pílula)- Diminui os sintomas da menopausa; Cáscara Sagrada (pílula) - Alternativa aos anti-inflamatórios no tratamento da artrose; Espinheira Santa (pílula) - Paliativo ao medicamento omeprazol, indicado para casos de gastrite, má-digestão

Fonte: Revista COSEMS/RS 7ª edição