Servidores participam de projeto para humanizar as relações de trabalho

A construção do Plano Municipal de Saúde (PMS) de Gravataí contou com a ajuda de 345 servidores da Secretaria da Saúde, que exercitaram o dispositivo de gestão compartilhada da Política Nacional de Humanização (PNH). Durante os meses de fevereiro e março de 2013, o projeto “Humanizando Relações” foi colocado em prática através de um processo participativo com as equipes.

No total foram 20 reuniões, contemplando 51 serviços de saúde municipais, e o resultado foi a incorporação de 789 sugestões ao PMS. Também foram criados novos eixos para discussão, a fim de melhorar o processo de participação e deixar o plano mais representativo e abrangente. O Plano reúne a execução, o acompanhamento, a avaliação e a gestão do sistema de saúde durante o período 2014-2018 e contempla os anseios dos servidores, que muitas vezes sentiam-se descolados das ações da administração.

De acordo com o secretário municipal de Saúde de Gravataí, Jones Alexandre Martins, o projeto “Humanizando Relações” preconiza a Política de Humanização do Sistema Único de Saúde (SUS). “A primeira fase do PMS foi construída com base em oficinas, debates e diálogo entre os servidores. Queremos aperfeiçoar a democracia interna e entendemos que isso, consequentemente, é condição necessária para melhorar o atendimento ao usuário”, afirma.

A diretora do Departamento de Atenção à Saúde e coordenadora do projeto, Maria Cristina Berleze, explica que a iniciativa surgiu a partir de outro projeto, o “Escutar Faz Bem”, desenvolvido durante o segundo semestre de 2012. “A ideia inicial era de ampliar a participação dos servidores e percebemos que integrá-los à construção do PMS poderia ser rico e importante para o processo da gestão compartilhada, que é uma das diretrizes da humanização.”

 As rodas de conversa, parte da dinâmica do projeto, promoveram discussões de temas como Atenção Básica, Estratégia de Saúde da Família (ESF), Controle Social, Central de Marcação, Exames Diagnósticos, Urgências e Emergências, Políticas de Saúde, Saúde Mental, Saúde do Trabalhador, Doenças Emergentes, Assistência Farmacêutica, Recursos Humanos, Gestão Administrativa, Comunicação, Intersetorialidade, Educação Permanente entre outros.

Para Maria Cristina, o projeto, que contou com a participação de 25% dos trabalhadores municipais de saúde ativos, superou as expectativas e as metas. Ela considera o índice de participação alto, pois apesar de todos terem sido convidados, a maioria estava de férias durante o período. Em maio deste ano, foi realizada uma apresentação detalhada do trabalho para todos os servidores. A previsão era de que a versão finalizada seria apreciada pelo Conselho Municipal de Saúde (CMS) ainda no primeiro semestre de 2013.

Na opinião da diretora, o “Humanizando Relações” também foi favorável para o desenvolvimento de uma relação qualificada entre profissionais e usuários do SUS. “O projeto abordou os princípios de integralidade do SUS e a ESF, o que permitiu que os pacientes fossem mais bem acolhidos. Só se consegue um resultado satisfatório quando se escuta o servidor, garantindo um bom ambiente de trabalho para o profissional, que se sente mais valorizado”, declara.

Maria Cristina afirma que o projeto já trouxe mudanças no relacionamento dos servidores com os usuários. “Através do serviço de ouvidoria, percebemos que diminuíram as reclamações dos cidadãos sobre o atendimento”, destaca. “Agora os pacientes recebem dados mais qualificados dos profissionais e, como efeito disso, o usuário está conhecendo melhor os nossos serviços e está mais bem informado em relação ao SUS.” Até o final do ano, a Secretaria pretende implantar um trabalho mais focado no acolhimento e na educação popular. “Queremos aproximar as lideranças comunitárias dos grupos de trabalho para tratar da cidadania com os usuários. Para medir o grau de satisfação deles, planejamos fazer uma pesquisa nos próximos seis meses”, anuncia.

Ficha Técnica

Título da experiência: Humanizando relações: processo participativo com as equipes – rodas de conversa na construção do Plano Municipal de Saúde
Município: Gravataí
Apresentadora do Trabalho: Maria Cristina Mércio Cachapuz Berleze Coautores: Patrícia Krieger, Luciane da Silva, Mara Fabiane Spohr, Ana Fiametti Lutz, Lenise Lourenço, Aline Belloc, Daniel da Luz, Joice Konig, Diajara Pereira, Lisandra da Silva, Liane Pinto, Elaine Salini, Carlos André Kolhrauch, Cleusa Maria Pack, Denise Cezar Godinho e Lissandra Pedroso

Fonte: Revista COSEMS/RS 5ª edição